Socorro Cândido: "Os desafios do Terceiro Setor"

01/10/2018


Professora universitária, contadora especializada em Terceiro Setor e sócia da S&C Assessoria Contábil

Se perguntarem qual setor brasileiro movimentou R$ 58 bilhões em um ano (1,8% do Produto Interno Bruto), possivelmente poucos apontariam o Terceiro Setor. No entanto, este dado divulgado em 2012, na última pesquisa do IBGE sobre este segmento formado pelas entidades sem fins lucrativos, comprova o quão impactante é o papel do Terceiro Setor na promoção do desenvolvimento do País. Impactos que vão muito além do econômico, gerando também importante capital humano, ambiental e social.

 

Ainda é comum associar o Terceiro Setor ao trabalho voluntário ou meramente filantrópico e parece permanecer em alguns o entendimento de que basta o sentimento de caridade para gerir estas entidades. No entanto, é cada vez mais necessário compreender que as Organizações da Sociedade Civil (OSCs) precisam aplicar ferramentas de governança, contabilidade e transparência, buscando atingir metas de gestão concretas em seus projetos sociais. Ou seja, não basta somente pessoas engajadas e com boas ideias. É necessário capacitação dos dirigentes e da equipe operacional para garantir a continuidade da missão institucional das organizações sociais e a sustentabilidade do principal ativo das entidades sem fins lucrativos: os impactos sociais gerados e as transformações que elas ajudam a promover na sociedade.

 

Especialmente neste momento delicado do País - que atravessa crises econômica, política e ética resultando em um aumento das demandas da população - é fundamental reconhecer e debater o trabalho das entidades que compõem o Terceiro Setor e como elas podem se fortalecer para ocupar de forma diferenciada um espaço que, em muitos casos, o Estado não consegue alcançar.

 

Continuar lendo em: https://www.opovo.com.br/jornal/opiniao/2017/12/socorro-candido-os-desafios-do-terceiro-setor.html